Ir al contenido

Cesta

La cesta está vacía

R. Magritte

René Magritte

Foto de R. Magritte.
DADOS DO ARTISTA
Nome completo René François Ghislain Magritte.
Nome artístico René Magritte.
Nascimento 1898, Lessines, Bélgica.
Morte 1967, Schaerbeek, Bélgica.
Estilo Surrealismo e Modernismo
Obra destacada O filho do homem

A vida de Magritte foi marcada por tragédias e ambientes complicados, como o suicídio de sua mãe e a Segunda Guerra Mundial, o que moldou significativamente seu pensamento e sua obra artística.

Quanto à sua personalidade, caracterizou-se por ser: brincalhão e fantasioso na juventude; excêntrico, provocador e egocêntrico na idade adulta. Dono de uma enorme perícia no manejo do pincel, Magritte forjou um catálogo de obras muito particular, que lembram o estilo desenvolvido por Dalí, embora menos grandiloquente.

Ávido por ser alguém, Magritte embarcou em vários movimentos pictóricos, sendo o Surrealismo onde se sentiu mais à vontade. Embora inicialmente tenha se juntado ao manifesto surrealista (década de 1940) dos fundadores, não encontrou a fama, mas ela veio posteriormente, na década de 1960, quando seus trabalhos ganharam popularidade nos Estados Unidos, tornando-se muito influentes em movimentos modernos como o Pop Art e a arte conceitual de Nova Iorque. © diCrox.


Quadros de Magritte

As obras de Magritte são frequentemente reconhecíveis à primeira vista, pois ele foi pródigo no uso de motivos recorrentes, alguns deles são: maçãs verdes, rostos cobertos, chapéus-coco e a própria pessoa do artista retratada de mil maneiras. Encontre quadros inspirados neste artista para comprar: quadros de Magritte a óleo



  • "O filho do homem"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1964
    Estilo: Surrealismo
    Título original: Le Fils de l'homme
    Título (inglês): The Son of Man
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Coleção privada

    Sem dúvida esta é a obra mais célebre do artista, reproduzida exaustivamente em todo tipo de decoração impressa como pôsteres e outros. O grande sucesso desta figura reside, segundo alguns especialistas, na originalidade contida na simplicidade da figura, à qual se adiciona a complexidade do conceito "O filho do homem".

    Entram em jogo significados de uma grande quantidade de elementos, os principais são a narrativa bíblica da maçã de Adão e a vida contemporânea na Europa daquela época, o último evidente no traje do personagem.


  • "Os amantes"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1928
    Estilo: Surrealismo
    Título original: Les Amants
    Título (inglês): The Lovers
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: National Portrait Gallery, Austrália

    Esta enigmática obra mostra um casal de homem e mulher se beijando, mas sem se tocarem nem se verem. Sob este ato a comunicação entre o casal está realmente obstaculizada por uma barreira que não permite sentir, tocar nem ver o outro, além de falar com dificuldade e ouvir pouco.

    Alguns biógrafos atribuem estas figuras à convivência que os pais do artista tiveram, a marcada desafeição do pai e a depressão da mãe.


  • "Golconda"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1953
    Estilo: Surrealismo
    Título original: Golconde
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: a coleção privada Menil Collection, Houston, EUA

    Desta composição surrealista não se conhece a interpretação "oficial" do artista, mas tem-se especulado em várias direções sobre seu significado. Não há dúvidas de que a obra é autobiográfica, pois mostra um edifício ao estilo belga, e os personagens estão claramente caracterizados no modo que Magritte aparecia na vida real.

    "Gotas de chuva com a forma do próprio artista, que está por toda parte", é uma das interpretações mais difundidas. Sempre tentou estabelecer uma linha divisória entre o real e o representativo, muitas vezes gabando-se de que sua pintura era mais lúdica do que formal.


  • "Tempo trespassado"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1938
    Estilo: Surrealismo
    Título original (francês): La Durée Poignardée
    Título (inglês): Time Transfixed
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Instituto de Arte de Chicago, EUA

    Esta enigmática obra foi a segunda que o artista presenteou ao seu benfeitor, o poeta britânico amante do surrealismo Edward James, que convidou Magritte para a sua casa em Londres em várias ocasiões. Este quadro foi colocado sobre a lareira naquela casa.


  • "O assassino ameaçado"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1927
    Estilo: Surrealismo
    Título original: L'Assassin menacé
    Título (inglês): The Menaced Assassin
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Museu MoMA, Nova York.

    Pode-se pensar que a inspiração desta obra venha de algum passagem literária, ou mesmo de um filme, mas não é o caso. É uma composição que o artista criou do nada, e graças ao título, que é muito elucidativo, pode-se entender o evento que ocorre nela.

    Um assassino de "luva branca", prestes a ser capturado, está cercado e foi pego em flagrante, mas parece não se importar ou saber que seus capturadores estão prestes a agir. Estes últimos caracterizados com o clássico chapéu-coco, indicando a proximidade psicológica entre o artista e os personagens.


  • "Magia negra"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1945
    Estilo: Surrealismo
    Título original: La magie noir
    Título (inglês): Black Magic
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Coleção privada

    À beira de completar cinquenta anos, Magritte até então havia acumulado muita experiência e formação acadêmica em pintura. Este nu feminino é um retrato de sua própria esposa, Georgette Berger, realizado seguindo a proporção áurea da beleza clássica, o que lhe confere uma aparência de escultura perfeita e uma beleza inquestionável.

    A coloração azul celeste confirma o caráter criativo e surrealista da tela: uma mulher que se funde com o céu, mas com uma mão em uma pedra, o que simboliza sua pertença à terra.


  • "Invenção coletiva"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1934
    Estilo: Surrealismo
    Título original: L'invention collective
    Título (inglês): Collective Invention
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Museu Kunstsammlung Nordrhein-Westfalen, Alemanha

    A tela propõe uma imagem desconcertante, pretendendo fazer o espectador tomar consciência das ideias preconcebidas que tem sem se dar conta. Neste caso, a ideia de "sereia", arraigada no imaginário coletivo, torna-se inverossímil, embora sem dúvida não menos do que a sereia tradicional, que é uma "invenção coletiva" sem nada de real nela.


  • "O império das luzes II"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1950
    Estilo: Modernismo
    Título original: L'Empire des lumières II
    Título (inglês): O Império da Luz II
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Museu MoMA, Nova York

    O pintor cria um ambiente de luz contraditória, mas que roça a realidade. Um claro-escuro apresentado por um céu azul celeste, bem iluminado e cheio de nuvens fofas que parecem de algodão; abaixo uma casa em penumbra, com uma escuridão gerada precisamente pelo contraluz das figuras e sobre a própria luz do céu. Dá a impressão de que são as árvores e o edifício que geram tão grande contraste.


  • "A arte de viver"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1967
    Estilo: Surrealismo
    Título original: L'Art de Vivre
    Título (inglês): A Arte de Viver
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Colecionador privado

    A pintura não é das mais conhecidas, no entanto, mais do que outras, alberga um enorme significado psicológico ligado ao pintor. O personagem principal, muito similar a "O filho do homem", se apresenta com particularidades que deixam ver as crenças e ideias que o artista tinha sobre a vida, entre elas: seu agnosticismo, seu egocentrismo; sua confiança no sistema comunista e na razão humana.

    A Cabeça inchada, descolada dos ombros, fazendo as vezes de só diante das montanhas, denota a superioridade da razão frente a qualquer outra força ou moral.


  • "A traição das imagens"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1929
    Estilo: Surrealismo
    Título original: A Traição das Imagens
    Título (inglês): A Traição das Imagens
    Também conhecido como: "Isto não é um cachimbo"
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Museu de Arte do Condado de Los Angeles

    Na obra lê-se "Ceci n'est pas une pipe", que significa "isto não é um cachimbo". Esta foi a afirmação do artista com esta obra, defendendo que realmente não o era, mas que era apenas a imagem de um cachimbo. Este simples argumento, que reforça a divisão entre realidade e imagem, foi utilizado para justificar uma boa parte de sua obra, especialmente aquelas pinturas mais loucas e surrealistas.


  • "A grande guerra"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1964
    Estilo: Surrealismo
    Título original: A Grande Guerra
    Título (inglês): A Grande Guerra
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Coleção privada

    De fundo uma cerca de pedra e o céu liso, muito semelhante ao fundo de muitas outras pinturas de Magritte, incluindo "O filho do homem" e "A arte de viver". Só que desta vez, o personagem é completamente desconcertante, uma mulher vestida totalmente de branco, à moda da época, com guarda-chuva, bolsa e umas flores roxas com folhas verdes no lugar do rosto. Sem dúvida é enigmático. Qual conexão pode ter encontrado o artista entre este personagem e a guerra? Não se pode esquecer que Magritte viveu a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, então ele sabia exatamente o que fazia ao conectá-las.

    Quis mostrá-la como uma dama atraente de rosto escondido, provavelmente com alusão a um dos lados mais obscuros da guerra, ou seja, às riquezas materiais que a guerra traz consigo para alguns negócios.


  • "O reconhecimento infinito"
    Autor: René Magritte
    Ano: 1963
    Estilo: Surrealismo
    Título original (francês): A Reconhecimento Infinito
    Título (inglês): O Reconhecimento Infinito
    Tipo: Quadro
    Técnica: Óleo
    Suporte: Tela
    Encontra-se em: Mãos privadas

    Esta pode ser a pintura com os visos mais transcendentes que se conhece dele, não por acaso poderia estar pensando na morte ou no além, já que completava 68 anos, numa época em que chegar a isso era toda uma façanha, de fato, morreu três anos depois.

    2 conceitos principais são aqui representados: os dois personagens gêmeos de alma e a infinitude do céu. Ambos de algum modo flutuam e conversam enquanto "ascendem" a um estado mais elevado, onde poderão continuar compartilhando.

Quer um quadro a óleo inspirado em R. Magritte em sua casa?
Peça-o na seção de quadros de Magritte a óleo

Pintores famosos relacionados:


↑Subir